“Veja, o fato é que nós não somos endurecidos em relação ao evangelho; nós somos ignorantes a respeito dele. “ Paul Washer. E eu acrescento: isso pode nos custar muito, porque somos ignorantes em relação à Salvação.

Martyn Lloyd-Jones diz que “Deus emplacou o Seu Filho. Deus fez Jesus tornar-se uma espécie de placa, um sinal para todos os que passam pela estrada, no local mais visível em que se poderia estar; Deus emplacou o Seu Filho no centro do mundo, na cidade religiosa mais importante da face da terra. Lá, à vista de todos, uma cruz foi levantada e o Seu Filho foi pregado nela. Deus, no dia da crucificação, emplacou a propiciação.

Uma propiciação é um sacrifício feito no lugar da parte culpada, que justifica, ou satisfaz a justiça de Deus, e faz com que seja possível para Deus perdoar homens pecadores. É um sacrifício feito no lugar do pecador, para que a justiça, que demanda a sua morte, seja saciada, e Sua ira e santo ódio contra o pecado sejam apaziguados, de modo que Deus possa livremente perdoar. E esse sacrifício foi o próprio Cristo.

As placas de transito tem por finalidade “identificar as vias, os destinos e os locais de interesse; orientar condutores de veículos quanto aos percursos, destinos, distâncias e serviços auxiliares, e também disciplinar os usuários. “ E Jesus, é uma placa perfeita.

“Jesus disse: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, nunca andará em trevas, mas terá a luz da vida”. João 8:12. Jesus dá-nos a direção, mostrando que vencedor será aquele que o seguir, porque Ele nunca se aliou às trevas.

 

(Sentido único)

(Sentido único)

 (Proibido virar à direita)

(Proibido virar à direita)

 

 

 

 

 

 

 

“Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela. Como é estreita a porta, e apertado o caminho que leva à vida! São poucos os que a encontram. “ Mateus 7:13-14 Jesus nos diz qual caminho devemos seguir, e nos alerta como deve ser o lugar no qual chegaremos. Diz que o caminho pode ser meio difícil, que alguns se perdem quando o fazem, mas traz um destino memorável.

 

(Estreitamento de pista ao centro)

(Estreitamento de pista ao centro)

 

“Quando, porém, somos julgados pelo Senhor, estamos sendo disciplinados para que não sejamos condenados com o mundo. “ 1 Coríntios 11:32 E, ainda como uma placa de trânsito, somos disciplinados quanto à nossa maneira de agir.

 

grd-s(0)(1)(2)(3)(4)(5)(6)(7)(8)(9)(10)(11)(12)(13)(14)(15)(16)(17)(18)(19)(20)(21)

 

Jesus faz sua função de placa tão bem porque Ele é o próprio caminho.

Além de placa, Jesus é o Sacrifício Perfeito, nos justificando quando não obedecemos às “leis de trânsito”. Ele foi posto em destaque pregado à uma cruz, sendo o foco das atenções e um marco para sua época e que permanece até hoje. “Lá em cima na cruz, Deus estava fazendo muito mais do que apenas salvando o homem no madeiro. “

Nós sabemos que aquele que deveria morrer no madeiro devia ser um homem (Hb 10:4) e, como foi Adão quem pecou, deveria ser um filho de Adão o sacrifício. Porém, aquele que deveria morrer naquele madeiro devia ser mais que um homem. Ele deveria ser igualmente Deus, porque à Deus pertence a Salvação (Jn 2:9). Porque aquele que iria ao madeiro deveria entregar a sua própria vida, o que homem nenhum pode fazer pelo fato de nossa vida não pertencer a nós (Jo 10:18) e porque ninguém mais, que não fosse divino, aguentaria a ira de Deus, a ira que derrete montanhas (Naum 1:5).

E mesmo o emplacamento de Jesus na cruz ter durado apenas algumas horas, mas resultou em direcionamento e propiciação eternos. Jesus é Alguém infinitamente valioso ao ponto de sua morte em cruz ter sido capaz de nos justificar com o Pai pelo resto de nossas vidas.

Justificação é uma palavra forense, retirada do campo do direito. Ser justificado significa que, no momento em que olhamos para Jesus, aquela placa em destaque que nos fala tudo sobre o caminho que devemos seguir com maior capacitação para tal, justamente por ser o caminho, e nós, mantando uma fé salvífica, somos declarados legalmente justos e corretos diante de Deus. Deus, o Juiz, inclina seus olhos para um pecador que colocou sua fé em Cristo e declara que aquele pecador é legalmente justo diante Dele porque só assim Ele pode se relacionar.

“Se hoje você é salvo, você não é salvo porque os romanos pregaram Jesus num madeiro, nem porque os judeus O chicotearam ou porque O espancaram violentamente. Se hoje você é salvo, isso se deve ao fato de que, quando Ele estava naquele madeiro, Ele carregou os nossos pecados e o Seu próprio Pai O esmagou como sacrifício (Is 53:10). Nós não somos salvos por aquilo que os romanos fizeram com Jesus, nós somos salvos por aquilo que Deus fez com Seu próprio Filho. “

Jesus foi emplacado, literalmente, com pregos que o seguravam em um lugar muito alto. O Pai fez Seu Filho placa para que pudéssemos ser justificados, por meio da nossa fé, e nessa ação a propiciação foi consumada.

Jesus nunca temeu o madeiro, os romanos, os judeus, os chicotes, os cuspes, nada. Jesus tremeu diante do cálice que continha a ira de Deus, aquela mesma ira que derrete montanhas, a ira que deveria cair sobre nós. E mesmo tremendo, Jesus ainda disse: “mas que seja feita a Sua vontade”, porque Ele sabia que seria emplacado para dar a oportunidade de, sendo perfeito e limpo, Deus-homem, as criaturas serem justificadas, e assim, só assim, chegarem ao trono de Deus Pai.

 

A cruz representa a propiciação e essa placa nos direciona à

Nova Jerusalém.

 

 

Texto baseado no livro O verdadeiro Evangelho de Paul Washer.

 

Yasmin Muniz